57 crianças receberam Jesus pela primeira vez

Nos dias 23 e 24 de janeiro, pelas 15h00, realizou-se na Paróquia de Mangualde a Festa da Primeira Comunhão, tão ansiada pelas crianças e seus pais, e também se viveu de forma solene e alegre o Domingo da palavra de Deus, tantos nas Celebrações Dominicais como nas Celebrações da Primeira Comunhão.

Estas celebrações foram dedicadas apenas aos meninos/meninas e familiares, em número restrito, face à situação da pandemia Covid-19, que continuamos a viver.

De forma ordeira, crianças e familiares foram recebidas pelas Equipas de Acolhimento cerca de meia hora antes do início da Celebração. As crianças e os pais ocuparam a parte central da Igreja, pois o dia era especial para estas crianças, uma vez que iam receber Jesus que pela primeira vez. Era notória a satisfação com que se vivia o momento.

O Pe. Paulo Domingues deu início à celebração dirigindo-se de forma particular aos meninos/meninas do 4º ano.



“Hoje é com muita alegria que vivemos esta celebração, todos nós somos parte integrante deste Grande Corpo em que todos temos um papel fundamental. Hoje neste espírito, todos somos missionários: vós; pais/mães e demais familiares que enviam as crianças semana após semana para a catequese, vós catequistas, que semana após semana preparam a catequese, acólitos, grupo coral, equipas de acolhimento, o Pe. José Pedro que hoje está connosco e demais membros, sóis parte integrante, sem a vossa participação nada seria possível. Hoje não sendo possível estarem todos presentes, por motivo de confinamento ou outro, todos somos chamados à missão.”

Neste dia, para espanto de muitos, o Padre Paulo entrou na Igreja com uma mochila às costas, todos ficaram ansiosos em saber o porquê daquela mochila. Quando chegou o momento da homilia pegou na mochila e fez uma sessão de catequese. Todas as criança quiseram adivinhar o que ele ali trazia: uma bíblia (a palavra de Deus para ler na catequese e em casa), um mapa (para ninguém andar perdido), uma lupa (para ver os pormenores) e uma lanterna (a luz que ilumina) e com estes objetos transmitiu-lhes a mensagem que Jesus está sempre connosco e ilumina as nossas vidas.


No momento da Primeira Comunhão, as crianças, organizadas em fila, pelos catequistas dirigiram-se ao altar, onde receberam pela primeira vez a hóstia consagrada, o Corpo de Cristo, pelas mãos do Pe. Paulo, regressando calmamente ao seu lugar, agradecendo a Jesus aquele momento.

Houve a participação das crianças em vários momentos e a sua voz fez-se ouvir em bonitos cânticos, preenchendo de alegria o coração de todos os presentes.

Em momento oportuno, o pai ou a mãe, dirigiu-se ao altar para entregar a Bíblia na qual deixara a mensagem num separador de livros, previamente escrito por um familiar, que dizia: “Comungar é bom porque …”.

As catequistas também tiveram um miminho para estas crianças, um saquinho com pequeninos livros onde constavam as Leituras, Salmo e Evangelho do dia da sua Primeira Comunhão.

No final, o Pe. Paulo agradeceu a todos que prepararam esta bonita festa.

Em tempo de pandemia estas crianças também quiseram demonstrar a alegria, que sentiam e o orgulho que tinham em irem receber Jesus. Sem que ninguém soubesse, organizaram-se nos intervalos da escola e elaboraram um bonito cartaz, com o cálice e onde se podia ler: “1ª. Comunhão”. No dia 21 de janeiro, dia em que “queimaram” os pecados e faziam os últimos ajustes para a Festa, entregaram o seu miminho ao Pe. Paulo, o qual agradeceu.


Aqueles que não puderam receber Jesus neste dia irão fazê-lo no próximo dia 20 de fevereiro.