• Cristina Rodrigues

Catequese… um Caminho com Cristo!


Entrámos numa fase de progressivo desconfinamento. Que medidas estão a ser tomadas relativamente à catequese?

As crianças/ jovens vão regressar à catequese presencial?


Todos nós desejamos ardentemente voltar às nossas rotinas diárias, o mais rápido possível, e a catequese presencial não é excepção. Seria prematuro da minha parte afirmar que as crianças e adolescentes irão regressar, totalmente ou da forma como estamos habituados, à catequese presencial. Teremos de encontrar um equilíbrio entre as sessões de catequese presenciais e os meios digitais, respondendo assim às necessidades urgentes e desafiantes em que vivemos hodiernamente.


Nesta fase de pandemia a igreja recorreu aos meios digitais e até às redes sociais para fazer chegar a sua mensagem. Será esta também uma maneira de fazer catequese?

O desconfinamento está a ser feito de forma gradual e “pouco a pouco”. Desta forma, as medidas que adotamos em relação à catequese também foram realizadas de forma gradual e analisando criteriosamente todas as soluções, para não colocarmos em risco os Catequisandos, os seus pais e catequistas.


A pandemia levou a igreja a repensar a catequese dos dias de hoje?

A pandemia levou a Igreja a repensar a catequese. Contudo, não só a catequese, mas toda a nossa vida cristã nas várias dimensões: espirituais, intelectuais e relacionais. Tivemos propostas de catequese em família, fomentando assim que cada agregado familiar seja uma igreja doméstica, como nos pede o nosso amado Papa Francisco.


Como poderá a igreja “chamar e envolver os jovens” nos caminhos da fé?

Os jovens têm dentro de si um potencial enorme e um desejo de partilhar connosco a sua vitalidade, originalidade e também a sua inovação na forma como “olham” a Fé e a sociedade. O Papa Francisco convocou um Sínodo dos jovens e dele resultou a Exortação Apostólica “Cristo Vive”. Deste modo, observamos que Jesus Cristo, também ele jovem, quer estar próximo dos jovens e acompanhá-los tanto nas suas dúvidas e angústias atuais, como nas suas alegrias e conquistas. A Fé é um Dom de Deus, que é intrínseco ao ser humano, mas muitas vezes “a brisa do Mundo” teima em querer apagar a chama da Luz de Cristo, acesa no dia do nosso Batismo. Assim, a Igreja necessita de se aproximar dos jovens, não numa linha de imposição, mas sim com uma escuta atenta e fraterna, para que, todos juntos, em Igreja – Comunhão de Batizados – possamos fazer um caminho, Belo e Verdadeiro, que está sempre aberto à novidade impelida pelo Espírito Santo.


Este ano, as habituais festividades associadas à catequese já se vão realizar?

Este ano iremos realizar as festas associadas à catequese de uma forma particular. Para já teremos a Festa da Primeira Comunhão, da Profissão de Fé e da Confirmação – Crisma, em relação aos Catequisandos que iriam realizar estas festas no ano de 2020. Estas celebrações não serão comunitárias, pois serão celebradas apenas com os seus destinatários e vocacionadas somente para estes momentos. As restantes festas serão realizadas ao longo do próximo ano pastoral.





Que mensagem deixa às crianças/jovens e aos pais?

Por fim, e não menos importante, deixo a certeza da minha oração e carinho aos catequistas, pais e Catequisandos – crianças, adolescentes e jovens. Em breve espero encontrar-me e reencontrar-me convosco. Agradeço o vosso esforço, dedicação e compreensão nestes tempos difíceis, desafiantes, mas também gratificantes por termos a possibilidade de nos reencontrar e partilharmos a Esperança que nos habita e que nos faz avançar, dia após dia. O Papa Francisco pede-nos para “construirmos pontes e não muros”. E, de facto, somente com pontes é que podemos chegar a margens diferentes e assim descobrirmos novos horizontes. Rezo por vós, para que Jesus Cristo, eternamente Jovem entre os jovens, possa ser o vosso Amigo, sempre fiel à vontade do Pai por virtude do Espírito Santo.


Um abraço amigo, a todos e cada um de vós, caríssimos Catequisandos!