top of page

Paróquia de Mangualde celebrou o seu Padroeiro São Julião


Mais uma vez a tradição cumpriu-se nos dias 14 e 15 de janeiro. Os festejos em honra de São Julião, Padroeiro da Paróquia de Mangualde e da Cidade, retomaram a sua realização depois de dois anos de interregno, devido à pandemia Covid-19.

O Pe. Paulo Domingues desafiou este ano as Comissões de Culto da Paróquia de Mangualde, para que no domingo, se associassem à procissão do Patrono São Julião, com a presença dos andores com os oragos de cada localidade e assim aconteceu.

Foi a primeira vez que a cidade de Mangualde recebeu os diversos andores vindos de: Almeidinha, Ançada, Canedo, Cubos, Darei, Pinheiro, Roda, Santa Luzia, Santo Amaro e Santo André, e que revestiu de maior solenidade esta manifestação pública de fé, muito agradando a todos os que nela se incorporaram ou preencheram as ruas da cidade a assistirem.

Do programa constou no dia 14 de janeiro, Missa na Igreja Matriz de São Julião às 18h00, celebrada pelo Rev. Pe. Paulo Domingues e concelebrada pelo Pe. Nuno Azevedo. A celebração foi solenizada pela Companhia das Guias de Mangualde.



Terminada a celebração, saiu a procissão de velas com o andor de São Julião para a Capela da Senhora do Desterro, que contou com a presença dos Escuteiros, Guias, FNA e de muitos fiéis.



No domingo, dia 15, a Fanfarra dos B.V.M anunciava o dia festivo. Pelas 10 h00, as diversas localidades reuniram-se, com os seus andores, no Largo da Câmara e em cortejo com a presença dos Movimentos, entidades civis e militares, e inúmeros fiéis, percorreram em oração e recolhimento espiritual, o centro da cidade, em direção à Casa do Povo, Largo do Rossio, Av. da Liberdade e Complexo Paroquial. Às 11H00, houve a celebração de missa solene em honra do Padroeiro.

















Nestes dois dias, o Pe. Paulo, nas homílias proferidas salientou o momento importante que se estava a viver na comunidade. “Hoje podemos honrar dignamente o nosso orago. É com todo o gosto, amor e carinho que aqui estamos, neste dia de Sol, reunidos para celebrarmos dignamente o nosso Patrono São Julião…”




Destacou a vida de São Julião e de sua esposa Basilissa. “Um casal que apesar de terem uma posição elevada, viviam na sua humildade. Usaram o poder que tinham para servir e não para se imporem… Segundo a história, albergaram mais de mil pessoas doentes, Basilissa cuidava das mulheres e Julião dos homens. Sendo um modelo para os cristãos.”

No domingo, os cânticos foram solenizados pelo Grupo Coral da Paróquia de Mangualde, que deu a entrada com o Hino ao Padroeiro:

São Julião.

“A Ti rezamos para nos encaminhar…”



E em verdadeiro espírito de família os cristãos animados por celebrarem tão grande patrono rezaram e cantaram, louvando a Deus.

Os casais que celebraram este ano 1, 10,15,20,25,50 ou mais anos de casados receberam a bênção e renovaram os votos na sua caminhada matrimonial.


Da parte da tarde, cumpriu-se a tradição do convívio, iniciado em 10 de janeiro de 1982, com a realização do Sarau de São Julião.

A apresentação do espetáculo esteve a cargo do Pe. Paulo Domingues e da D. Augusta Marcelino (Membro da Direção do Complexo Paroquial).

Pelo palco passou: O Grupo da Universidade Sénior; Grupos Corais da Paróquia: São Julião e Clave Jovem; Acólitos “Pinguins”, David Almeida, Grupo Canedense, Raquel e Carlos e para finalizar o Luís Neves.










Os Grupos presentearem o público com peças de teatro, cantares, música, anedotas, entre outras coisas, proporcionando uma excelente e animada tarde de convívio.

A tarde terminou com todos a uma só voz entoando o Hino da JMJ (Jornada Mundial da Juventude) 2023 e com a partilha das janeiras, que bem satisfizeram os apetites com tais iguarias apresentadas.



O Pe. Paulo agradeceu a presença e o contributo de todos, pois só assim é possível honrar verdadeiramente o nosso padroeiro São Julião.

Ficaram os votos de que para o ano os festejos continuem com a envolvência de toda a família Paroquial.


Comments


bottom of page